O Cinema Digital 3D, enaltecido e menosprezado pelos Estúdios de Cinema - LFMORAU

o_cinema_digital_3d_enaltecido_e_menosprezado_pelos_estúdios_de_cinemaa

O Cinema Digital 3D, enaltecido e menosprezado pelos Estúdios de Cinema

 

Por que os filmes 3D ainda são um sucesso?

Vários críticos, em todo o mundo, afirmam há vários anos, que os filmes 3D estão morrendo. No entanto, Hollywood os contraria com inúmeros lançamentos, todos os anos.

.

Por que os filmes em 3D não morrem?

Eu poderia apresentar centenas de razões para isso, mas prefiro concentrar em uma única palavra – dinheiro!

O 3D vem sendo revitalizado como um dos diferenciais da indústria cinematográfica, pois com situações como a Netflix, tem um potencial de tornar a venda de bilheteria cada vez menor.

Os Estúdios lançam ou relançam um filme em 3D, para atrair as pessoas ao cinema e, assim oferecer uma experiência premium, mas também obter um preço extra para amortizar os pesados investimentos de um blockbuster.

O problema é que em boa parte dos conteúdos em 3D geralmente não oferecem uma experiência premium, pois existem duas categorias de filmes 3D que são apresentados nos cinemas atualmente, fazendo uma grande diferença na qualidade da produção, onde temos os filmes 3D reais que foram filmados com câmeras estereoscópicas e criados especificamente para visualização em 3D e Filmes “tipo” 3D que abordam o efeito 3D na pós-produção, quando são convertidos, sendo este processo muito mais barato que o conteúdo do 3D real.

Os grandes destaques do 3D real são Avatar e Transformers, que foram projetados e produzidos para a experiência na telona em um formato imersivo. Podemos incluir nos destaques a grande maioria das animações são ainda melhores quando vistas em 3D.

No grupo das decepções em 3D, há muitos super-heróis, filmes de ação e de terror que são convertidos em 3D para extrair um dinheiro extra do público, mas que de fato o 3D não melhora em nada a experiência de se assistir um filme no cinema, muito pelo contrário.

A conversão 3D torna a imagem escurecida e menos acentuada, o que é proibitivo para filmes de terror mal iluminados e filmes de baixo orçamento, podendo criar falhas na visualização. O avanço da tecnologia dos projetores, equipamentos e óculos 3D está minimizando o problema, mas não o eliminará.

Até mesmo o diretor de Avatar (um expoente do 3D), James Cameron queixou-se de que há uma considerável quantidade de lixo 3D, onde filmes estão em 3D sem necessitar, e os diretores geralmente não têm a última palavra se o estúdio decidir que seu filme seja lançado em 3D.

O 3D deveria ser um grande diferencial do cinema, mas ao invés disto, sua representatividade média global é de 20% da venda de ingressos (A média da América Latina é de 25% e no Brasil é de 30%) e vem caindo.

A situação do 3D poderia ser melhor, mas boa parte dos estúdios de produção prefere se ocupar apenas com o resultado de suas bilheterias e postergar o tratamento deste assunto, pois enquanto o número de filmes 3D lançados aumentou, sua participação na receita de bilheteria diminuiu.

É importante frisar que nos EUA os estúdios bancam os custos dos óculos 3D aos Exibidores, (Reza a lenda que, também bancam para os principais Exibidores em outras localidades), embora cobrem mais pelo conteúdo 3D, fazendo com que esse dinheiro retorne de onde saiu.

 

O que está sendo feito errado?

Os estúdios de cinema estão lançando filmes 3D, mas muitos são conteúdos 2D convertidos na pós-produção em 3D. O pior de tudo é que essa informação não é aberta na divulgação, e muitas pessoas se sentem roubadas depois de pagar taxas extras pela “Experiência em 3D”.

Os estúdios se defendem afirmando que, atualmente, as conversões são tão boas quanto a coisa real, mas há um limite para o que você pode fazer na pós-produção.

Observe a lista dos filmes 3D reais e dos 3D convertidos e comprove que algo está diferente.

2017

  • 3D real: Transformers o ultimo Cavaleiro
  • 3D convertido: A Bela e a Fera, Ghost in the Shell, A Grande Muralha, Guardiões da Galáxia Vol 2, Kong a Ilha da Caveira, Rei Arthur, A Múmia, Piratas do Caribe, Valerian, Mulher Maravilha, Triple XXX

2016

  • 3D real: Angry Birds, Billy Lynn, Procurando Dory, A Era do Gelo, O Menino Lobo, Kubo, Moana, Petz, Cegonhas, Trolls, X-Men Apocalypse, Zootopia.
  • 3D convertido: Alice através do espelho, Batman x Superman, Ben-Hur, O Bom Gigante Amigo, Capitão América Guerra Civil, Dr. Estranho, Animais Fantásticos, Horas Decisivas, Ghostbusters, Deuses do Egito, Independence Day, Inferno, O Grande Mestre, O Orfanato para Crianças Peculiares, A Lenda de Tarzan, Passageiros, Meu Dragão, Resident Evil, Rogue One Star Wars, Star Trek Beyond, Esquadrão Suicida, Tartarugas Ninjas, Anjos da Noite, Warcraft.

Em 2015 foram 14 conteúdos em 3D real x 26 em 3D convertido.

Em 2014 foram 32 conteúdos em 3D real x 19 em 3D convertido.

Em 2013 foram 33 conteúdos em 3D real x 14 em 3D convertido.

Fica fácil concluir que a tendência é preocupante e aumenta a cada ano.

A esperança é que Avatar 2 forçará os estúdios a repensarem suas estratégias de 3D, pois existe um efeito colateral de filmes 3D excepcionais.

 

Um pouco sobre os Óculos 3D

A história dos óculos 3D remonta à década de 1850, quando Wilhelm Rollmann inventou imagens anáglifas. Imagens 3D não precisam vir de uma fonte 3D, mesmo a sobreposição de imagens com filtros de cores diferentes fará o efeito e isso provocou inovações nos óculos 3D.

O conteúdo em 3D tem dois conjuntos de quadros, um para cada olho. Para ver o efeito 3D, precisamos garantir que cada olho veja apenas a imagem que se destina para ele, e é por isso que usamos óculos 3D. Todos os óculos 3D estão equipados com lentes especiais que asseguram que isso ocorra, eles filtram apenas a lente esquerda para o olho esquerdo e a lente direita para o olho direito. A diferença entre cada tipo de óculos 3D está na forma como eles fazem isso.

 

Óculos 3D polarizados (circular e linear)

São os óculos 3D mais comuns usados nos cinemas hoje. Os óculos possuem lentes especiais que filtram o quadro pretendido para o olho correto usando diferenças na polarização da luz. O polarizador ou projetor 3D compatível polariza a luz de forma diferente para cada olho. As vantagens dos óculos 3D polarizados são que eles proporcionam um efeito 3D muito bom e os óculos são mais baratos e mais confortáveis que os óculos ativos. Existem dois tipos principais de polarização – linear e circular. O tipo circular é mais difundido nos cinemas (RealD, MasterImage, DephQ, Volfoni, Espedeo etc.), enquanto a polarização linear é utilizada pela IMAX.

 

Óculos 3D ativos

Cada lente contém cristal líquido transparente que fica preto uma vez que uma tensão é aplicada, bloqueando uma visão dos olhos por vez. Os óculos obtêm instruções do emissor ou da tela para escurecer cada lente no momento certo, enquanto a tela apresenta uma imagem de filme diferente para o olho desbloqueado para a conclusão do efeito, ou seja, quando a lente esquerda fica preta, apenas o olho direito vê a imagem e vice-versa. Existem algumas formas de comunicação com os óculos 3D do obturador ativo: através de um emissor de infravermelho, um emissor de radiofrequência ou um link DLP – normalmente utilizado pelos projetores.

 

Óculos 3D Infitec

São uma atualização dos óculos anáglifos 3D. Cada imagem para cada olho está codificada com cores vermelhas, verdes e azuis ligeiramente diferentes. As diferenças são tão leves que nosso cérebro dificilmente percebe, mas são fortes o suficiente para serem filtradas pelas lentes dos óculos, e cada imagem ligeiramente diferente é filtrada para o olho pretendido.

O sistema é conhecido como Super anaglyph, óculos de filtros de interferência, óculos 3D separados por espectro, óculos Dolby 3D.

 

Um Acessório mal aproveitado!

É inevitável a utilização dos óculos 3D para assistir à um conteúdo 3D, mas este imprescindível acessório, nem sempre recebe o devido valor.

A audiência recebe gratuitamente os óculos quando entra na sala de cinema e o devolve na saída, ficando com ele por, no mínimo, 90 minutos. Seria automático pensar que este acessório tem um grande potencial de publicidade, carregando uma marca, produto ou ideia estampada em suas hastes.

Isso não acontece na esmagadora maioria dos casos, e é simples de entender, a iniciativa em se buscar o patrocínio fica paralisada pela ausência de planejamento envolvendo o Exibidor, Distribuidor e Fornecedor dos Óculos 3D, pois para conquistar o Patrocinador será necessário o desenvolvimento de um projeto no qual este se veja inserido dentro do contexto.

 

Óculos 3D tematizados

look3d_minions

Uma fantástica iniciativa da LOOK3D, que negocia os direitos com os estúdios e produz óculos 3D inspirados no conteúdo dos principais lançamentos em 3D.

Essa ação já conquistou a audiência, principalmente infantil, de Exibidores em todo o mundo, como uma poderosa ferramenta de marketing, que alavanca algumas ações e gera uma receita complementar. No Brasil ainda sofre pela falta de informação, mas gradativamente isso será revertido.

Os Exibidores Brasileiros acreditam que não possam vender os óculos 3D temáticos, para não configurar uma venda casada. O receio é procedente, mas não se aplica a partir do momento que os óculos 3D convencionais são oferecidos sem nenhum custo a todo o público, sendo a aquisição de óculos 3D temático algo não impositivo para quem assim decidir, portanto não se configura uma venda casada e o adquirente levará uma lembrança do filme para casa.

Avatar for Luiz Fernando Morau

Profissional com mais de vinte e cinco anos de atuação nas áreas de entretenimento, broadcast e serviços corporativos, com atuação direta em ações de desenvolvimento e estruturação de negócios no Brasil e exterior, startups e fusões.

Vivência efetiva como Executivo e Consultor, com destaque para os projetos da Quanta, MasterImage 3D, Telem, Universal Networks, TVA, TV Brasília e TV Goiânia. Empresas onde exerceu efetiva gestão nas definições estratégicas e desenvolvimento dos negócios.

Comments: 0

Your email address will not be published. Required fields are marked with *